Sindicato novamente retarda abertura de agências do Bradesco e Santander em Campos

Nesta quarta-feira, 22, o Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região voltou a protestar contra o descaso dos banqueiros

Escrito por: CUT Rio • Publicado em: 22/08/2018 - 23:51 Escrito por: CUT Rio Publicado em: 22/08/2018 - 23:51

Internet

Nesta quarta-feira, 22, o Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região voltou a protestar contra o descaso dos banqueiros com a categoria. Três agências bancárias do Centro — Bradesco e Santander da Rua 13 de Maio e Bradesco do calçadão — tiveram o horário de abertura retardado em uma hora. A mesma atividade foi realizada na véspera em duas agências do Itaú, também no Centro. 

Os protestos vão continuar enquanto não houver um acordo do Comando Nacional dos Bancários com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Nesta terça, 21, o comando rejeitou a proposta apresentada pelos banqueiros na oitava rodada de negociação. Os bancários querem aumento real de 5% mais a correção da inflação, além da manutenção dos direitos assegurados na atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que tem validade até o final deste mês. A Fenaban propôs aumento de 0,5% e se recusa a incluir cláusulas como a PLR das mulheres em licença-maternidade. Uma nova rodada de negociação acontece nesta quinta-feira, 23.

Os cinco maiores bancos (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Bradesco e Santander) já lucraram R$ 42 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa 18% a mais que em 2017. "Os bancos lucram cada vez mais e seguem precarizando as condições de trabalho dos bancários e o atendimento aos clientes e é por isso que estamos nesta semana de luta por nenhum direito a menos", disse o presidente do Sindicato, Rafanele Alves Pereira.

Nesta quarta-feira haverá novas rodadas das mesas específicas de negociação dos bancos públicos (BB e Caixa).

Título: Sindicato novamente retarda abertura de agências do Bradesco e Santander em Campos, Conteúdo: Nesta quarta-feira, 22, o Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região voltou a protestar contra o descaso dos banqueiros com a categoria. Três agências bancárias do Centro — Bradesco e Santander da Rua 13 de Maio e Bradesco do calçadão — tiveram o horário de abertura retardado em uma hora. A mesma atividade foi realizada na véspera em duas agências do Itaú, também no Centro.  Os protestos vão continuar enquanto não houver um acordo do Comando Nacional dos Bancários com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Nesta terça, 21, o comando rejeitou a proposta apresentada pelos banqueiros na oitava rodada de negociação. Os bancários querem aumento real de 5% mais a correção da inflação, além da manutenção dos direitos assegurados na atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que tem validade até o final deste mês. A Fenaban propôs aumento de 0,5% e se recusa a incluir cláusulas como a PLR das mulheres em licença-maternidade. Uma nova rodada de negociação acontece nesta quinta-feira, 23. Os cinco maiores bancos (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Bradesco e Santander) já lucraram R$ 42 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa 18% a mais que em 2017. Os bancos lucram cada vez mais e seguem precarizando as condições de trabalho dos bancários e o atendimento aos clientes e é por isso que estamos nesta semana de luta por nenhum direito a menos, disse o presidente do Sindicato, Rafanele Alves Pereira. Nesta quarta-feira haverá novas rodadas das mesas específicas de negociação dos bancos públicos (BB e Caixa).



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.