Sindicato recorre e justiça manda reintegrar diretora demitida ilegalmente pela OS Unir

Escrito por: sindenfrj • Publicado em: 19/12/2018 - 16:20 • Última modificação: 19/12/2018 - 16:21 Escrito por: sindenfrj Publicado em: 19/12/2018 - 16:20 Última modificação: 19/12/2018 - 16:21

arquivo

Justamente para não sofrer retaliações e perseguições patronais, a lei prevê estabilidade do dirigente sindical. Mas a OS Unir ignorou a legislação ao demitir a diretora do Sindicato dos Enfermeiros do Rio, Líbia Bellusci, no dia 6 de dezembro.

O jurídico do SindEnfRJ, porém, agiu rápido e obteve na justiça uma liminar garantindo a reintegração de Líbia, o que ocorreu nesta terça-feira, 18 de dezembro, na sede da OS, no Rio. A foto acima registra o momento da readmissão, com Líbia, à direita, acompanhada da presidente do sindicato, Mônica Armada.

A demissão da dirigente sindical aconteceu depois que o sindicato recorreu à justiça para impedir a alteração da jornada de trabalho dos enfermeiros, de 24 x 120, conforme prevê o contrato, para 12 x 60, com quatro complementações. Não resta dúvida, portanto, que Líbia foi afastada justamente por cumprir sua obrigação de lutar pelos interesses da categoria. Vale lembrar que a decisão judicial determina também que ela, uma vez reintegrada, cumpra a jornada de 24 x 120.

Título: Sindicato recorre e justiça manda reintegrar diretora demitida ilegalmente pela OS Unir, Conteúdo: Justamente para não sofrer retaliações e perseguições patronais, a lei prevê estabilidade do dirigente sindical. Mas a OS Unir ignorou a legislação ao demitir a diretora do Sindicato dos Enfermeiros do Rio, Líbia Bellusci, no dia 6 de dezembro. O jurídico do SindEnfRJ, porém, agiu rápido e obteve na justiça uma liminar garantindo a reintegração de Líbia, o que ocorreu nesta terça-feira, 18 de dezembro, na sede da OS, no Rio. A foto acima registra o momento da readmissão, com Líbia, à direita, acompanhada da presidente do sindicato, Mônica Armada. A demissão da dirigente sindical aconteceu depois que o sindicato recorreu à justiça para impedir a alteração da jornada de trabalho dos enfermeiros, de 24 x 120, conforme prevê o contrato, para 12 x 60, com quatro complementações. Não resta dúvida, portanto, que Líbia foi afastada justamente por cumprir sua obrigação de lutar pelos interesses da categoria. Vale lembrar que a decisão judicial determina também que ela, uma vez reintegrada, cumpra a jornada de 24 x 120.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.